Como é que se faz o bem?

Bem, eu sou a favor da diversidade. Respeito todas as religiões, e acho que se cada pessoa vive sua fé de coração, não há como ela aprender o mal. Pelo menos na teoria, a religião ensina a praticar o bem.

Mas não é sobre religião que quero falar, especificamente. Quero falar sobre comportamentos de pessoas que escolhem fazer o mal. Isso mesmo, escolhem. E para isso, nem precisam matar ou roubar, apenas com palavras são capazes de destruir um ser humano, como um dinamite destrói um prédio com dezenas de andares. 

Tem gente que também não sabe escutar. Não presta a atenção no que o outro diz, e no meio do diálogo, quando o outro está falando a resposta é o mais importante. Sem contar, que muitas vezes, a pessoa é tão armada de palavras que o outro lado pouco importa. Covardemente, um milhão de palavras que parecem maribondos são disparadas como arma, e claro, pode matar se o outro não sair da reta.

Enfim, o que quero refletir é que realmente quem fala demais dá bom dia ao cavalo. Sábio meu pai quando me corrigia assim. Dizia que eu precisava silenciar e escutar. Hoje entendo isso com a vida. O silêncio pode ser a melhor resposta.

Então, não sai caro praticar o bem. Mas talvez você se pergunte: como é que se faz o bem? Eu respondo: é simples! Com um sorriso você pode fazer o dia de uma pessoa melhor, ou apenas com uma palavra positiva elevar o coração de uma pessoa que se sente mal. Falar menos também ajuda, escutar mais te faz mais humano. Nunca o problema de ninguém é maior do que o do outro, o segredo é que cada um carrega a cruz que tem com suas próprias forças, e claro, não somos iguais!

 

Anúncios

E se não existisse esse tempo?

E os ponteiros já esperam

 A contagem regressiva dos humanos

 Mais um ano se vai

 E outro chega devagar.

E se não existisse esse tempo?

Se não houvesse os anos, os dias e as horas?

Seríamos escravos de um mundo capitalista?

Ou viveríamos livres sem cobranças e consumismo?

Tem hora pra tudo:

Pra acordar, pra trabalhar, pra almoçar, pra dormir.

Tem dia pra tudo:

Pra chorar, pra sair, pra descansar e pra pagar conta

Sei que o tic tac não para

E o mundo da estética condena quem tem uns aninhos a mais.

Ter rugas, ser gordo ou flácido

É sinal que você já viveu demais. Já saiu de moda.

A saída então é correr contra o tempo.

Acertar a hora, enganar a sociedade.

Não seja, pareça ser!

Sábio dizia Maquiavel!

Seja lá como for, vem chegando mais um ano aí.

O que eu desejo? “Saúde e paz”

Dinheiro, emprego, consumismo, plásticas, tratamentos de beleza

Isso a gente corre atrás.

Mas quer saber mesmo?

Desejo que a humanidade seja mais sábia

Que o simples volte a ter valor

E que no final das contas o que importa é o amor.

FELIZ 2013! 

Claudiana Costa